"QUEM TOPARIA OFERECER MILHAS PARA AJUDAR MULHERES QUE PRECISAM IR ATÉ A COLÔMBIA PARA FAZER UM ABORTO SEGURO E LEGAL?"

primeiro-post

Foi uma pergunta assim, postada espontaneamente num grupo de mulheres do FB, que acendeu a centelha do debate.

Em algumas horas, foram mais de 5.000 interações. Cinco mil mulheres argumentando, convencendo e defendendo a descriminalização do aborto, indicando que o caminho estava aberto para a compreensão do enorme problema de saúde pública – e de liberdade – por trás do tabu. E, consequentemente, para a solidariedade que esta compreensão é capaz de despertar.

Em Setembro de 2019 o projeto nasceu e hoje, além da Colômbia, oferecemos a possibilidade de realizar o procedimento na Argentina e no México.

O projeto MILHAS PELA VIDA DAS MULHERES visa o financiamento parcial ou total da viagem de mulheres de baixa renda que escolheram realizar um aborto seguro e legal fora do Brasil. E orientação e ajuda para as mulheres que podem pagar pela viagem.

E, é claro, quando se enquadrarem nas leis brasileiras, nós as ajudamos a acessar o direito, AQUI MESMO NO NOSSO PAIS, de acordo com as Normas Técnicas do Ministério da Saúde.

BALANÇO DO 1º ANO DE OPERAÇÃO MILHAS

A partir do contato inicial da mulher, e sempre com uma escuta atentiva e respeitosa de suas razões e escolhas, nos incumbimos de estabelecer a ligação com a instituição parceira (ou com os serviços de aborto legal no Brasil), diminuindo transtornos burocráticos e dificuldades de ordem logística ou de comunicação.

Oferecemos também segurança jurídica e suporte emocional às mulheres que tenham se decidido pela interrupção da gestação, as orientando, em caso de necessidade, sem jamais intervir em sua vontade e decisão.

Segundo a Pesquisa Nacional do Aborto, 1 em cada 5 brasileiras, aos 40 anos, já passou pela experiência do aborto.

NÓS TRABALHAMOS PARA QUE MULHERES EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE POSSAM TER GARANTIDO O DIREITO DE ACESSO AO ABORTO LEGAL E SEGURO

PORQUE SE É DIREITO TEM QUE SER LEGAL.
E SE É LEGAL TEM QUE SER SEGURO.